Copy

Temos a dupla missão de refletir sobre a fragmentação noticiosa no meio digital e de criar ferramentas e técnicas para identificar um jornalismo confiável e de qualidade na internet.
CONSÓRCIO DE MÍDIA - PROJETO CREDIBILIDADE / THE TRUST PROJECT
 
Veículos membros do Trust Project, desde maio/2019: Agência LupaAgência MuralFolha de S. PauloNexo JornalO Povo Poder360.  

Veículos em processo de adoção do MVP: A GazetaAmazônia Real, Gaúcha ZH, Jornal do CommercioJOTA, Nova Escola, Ponte Jornalismo e UOL

Parceira institucional: Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo)
 

Edição 44 | Julho de 2020

EM DESTAQUE


Reprodução: sites parceiros do Credibilidade

Etiquetas para distinguir diferentes gêneros jornalísticos 

Em tempos de infodemia, fenômeno definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como superabundância de informações precisas ou não, o indicador Tipo de Matéria (Type of Work) é um recurso valioso para distinguir diferentes gêneros jornalísticos. Desenvolvido por um grupo de trabalho colaborativo de jornalistas dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Itália, Noruega e Holanda, este indicador diferencia, entre outros, os seguintes tipos: notícia, análise, opinião, humor e checagem de fatos. O indicador também prevê a adoção de etiquetas para conteúdos não noticiosos, como os patrocinados. Ao adotá-lo, os veículos têm flexibilidade para usar termos para etiquetar notícias, como nomes de diferentes editorias, e também de coluna para opinião. Confira abaixo as definições do Trust Project para quatro dos gêneros jornalísticos:

Notícia: Baseada em fatos, observados e verificados diretamente pelo repórter, ou relatados e verificados junto a fontes bem informadas. A notícia inclui perspectivas de vários pontos de vista sobre uma questão específica, diferentemente de conteúdos de relações públicas ou propaganda. Reportagens noticiosas não incorporam a opinião do autor. Quando incorporam a análise, devem ser etiquetadas como notícia e análise. Reportagens noticiosas incluem histórias baseadas em narrativas, geralmente conhecidas como matérias, desde que sejam completamente baseadas em fatos. As notícias também incluem blogs ao vivo, que seguem todos os padrões dos sites noticiosos, embora possam ser um pouco menos confiáveis porque são publicados sem edição e antes que o jornalista tenha a oportunidade de verificar as fontes.

Análise: Baseada em reportagem factual, embora incorpore a expertise do autor/produtor, e possa oferecer interpretações e conclusões. Adere às diretrizes gerais para reportagens. Uma análise geralmente segue ou acompanha reportagem noticiosa sobre o mesmo assunto. 

Opinião: Defende ideias ou tira conclusões baseadas na interpretação dos fatos e dados pelo autor/produtor. As opiniões podem incluir fatos ou citações relatados, mas enfatizam o pensamento, preferências e conclusões pessoais do autor. 

Checagem de fatos: Verifica uma declaração específica ou uma série de declarações afirmadas como fatos. Emite um veredito sobre se a declaração é ou não correta. 

THE TRUST PROJECT
 
Vídeo do YouTube com a apresentação de Sally Lehrman no ISOJ 2020
Melhores Práticas para aumentar engajamento via transparência, inclusão e ética
 
No último dia 23, a diretora-executiva do Trust Project, Sally Lehrman, participou da vigésima edição do International Symposium of Online Journalism (ISOJ), promovido pela Universidade do Texas em Austin. Ela destacou a importância do indicador Melhores Práticas para aumentar o engajamento de usuários de sites noticiosos. Segundo Lehrman, o cenário atual de crise oferece oportunidades para que eles fortaleçam sua credibilidade, o que pode, por sua vez, se refletir positivamente no relacionamento com o público. E tal fortalecimento pode se reverter em benefícios como a melhoria do modelo de negócios, com maior poder de atração e lealdade de assinantes.

"Credibilidade é uma relação cujos fundamentos são confiança, integridade e ética, intenções positivas, consistência e competência," disse Lehrman, associando um maior engajamento de usuários que confiam em determinado veículo ao gráfico Funil de Assinaturas (abaixo).
 


Funil de assinaturas / Reprodução: The Trust Project

A seguir, Lehrman citou uma pesquisa do Centro para Engajamento da Mídia, da Universidade do Texas, com 1.200 usuários americanos, dos quais 33% manifestaram uma vontade maior de pagar por assinaturas de veículos parceiros do Trust Project. Ao falar do sistema de indicadores, ela exibiu os indicadores em sites de veículos parceiros, incluindo dois brasileiros: O Povo Online, para falar de Melhores Práticas, e do Nexo Jornal, para Diversidade de Vozes.

ESTANTE VIRTUAL 
 

Reprodução: Ilustração da OMS para pesquisas sobre infodemia relacionada à Covid-19
 
Em conferência, OMS alerta para riscos da desinformação e estimula a infodemiologia

Cunhado em 2009 pelo médico canadense Gunther Eyesenbach, o termo infodemiologia – a ciência da distribuição e dos determinantes da informação em meio eletrônico, especificamente na internet ou em uma população, com o objetivo final de informar sobre saúde pública ou políticas públicas – foi tema de uma Conferência da OMS. Realizada de 29 de junho  21 de julho, o evento reuniu especialistas em saúde pública, matemática e ciência de dados, comportamento, ética e comunicação. 

Para a OMS, "uma infodemia não pode ser eliminada, mas pode ser administrada. Para responder efetivamente a infodemias, a OMS urge pela adaptação, desenvolvimento, validação e avaliação de medidas e práticas baseadas em novas evidências capazes de prevenir, detectar e responder a informações incorretas e à desinformação [produção e distribuição de informações deliberadamente falsas]."  

Nesse contexto, a organização estimula novas pesquisas capazes de compreender a epidemia de informações falsas sobre a Covid-19, com a difusão, em alta escala, de conteúdos problemáticos como os que tentam minimizar a doença e promover falsos medicamentos, além do movimento anti-vacinas. 

Segundo uma declaração do cientista social Phil Howard, diretor do Oxford Internet Institute ao site americano Axios, "se por um lado as notícias falsas não são uma novidade, a diferença é que uma infodemia pode matar as pessoas se elas não entenderem que precauções precisam ser tomadas." Ainda segundo o Axios, a infodemia corrói a confiança no governo no momento em que a confiança é mais necessária.
O Projeto Credibilidade é financiado por:

Copyright © 2020 | Projeto Credibilidade. Todos os direitos reservados.
Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo - Projor
Programa de Pós-Graduação em Mídia e Tecnologia - Unesp


Quer alterar a forma como você recebe esse email?
Você pode atualizar suas preferências or cancelar o recebimento