Copy

As deliciosas batatas fritas belgas



Quem não gosta de batata frita? Na infância, com um bom prato de arroz e feijão, com o sanduíche preferido ou só acompanhando uma cerveja gelada? Creio que todos nós nos rendemos a elas! Os primeiros produtores e comedores de batata viviam na América do Sul. Centenas de espécies eram cultivadas pelos incas, no atual Peru, desde tempos imemoriais. No século XVI, a batata cruzou oceanos, conquistou a Europa pelo estômago, reduziu a fome e revolucionou hábitos alimentares. Toda essa rica história você pode saborear no livro “Sabores belgas no Brasil”, que encontra-se à venda online em www.patrimoniobelga.com.br\sabores.
 

O desenho mais antigo da batata está no  Museu Pantin-Moretus, Antúerpia, Bélgica
 
Muitos países lutam pela paternidade da batata frita, mesmo sem provas de DNA. Cada um defende sua importância na invenção dessa iguaria apreciada em quase todo o planeta. No livro, Marc relata as diferentes hipóteses de quem as inventou.  Certo é que a paixão pela batata frita na Bélgica é tão grande que há até um museu dedicado apenas às frites. Para os belgas, o produto estaladiço por fora e tão suave por dentro que derrete na boca – servido no cone ou na bandeja – revela uma forma de vida, uma “belgitude”. Com tantos argumentos, em 2017, a Bélgica reconheceu a batata frita como patrimônio cultural imaterial.

As frites são encontradas em pelo menos cinco mil barracas na Bélgica e quase todos os bairros têm um posto de venda do produto. Calcula-se que sejam consumidos pelo menos 130 mil quilos de batata por dia nessas barracas! Os belgas produziram, em 2017, mais de 4,5 milhões de toneladas de batatas em 95 mil hectares. Mais de 97% da colheita transformaram-se em batatas fritas e 80% destinaram-se ao mercado externo!
 
Apreciar a verdadeira batata frita belga é quase uma arte. A sua degustação aumenta a cada dia no Brasil! E, é possível aprender a fazer a verdadeira frites na Henri´s Creperia, em São Paulo. Como o que é bom precisa ser disseminado, Henri já compartilhou a arte da preparação da batata belga “à perfeição” com pelo menos seis mil alunos Brasil afora. O curso de frites é de um dia inteiro e praticamente único. Os participantes aprendem sobre a compra da batata correta, higienização, corte e utensílios, além da escolha de óleo, etapas de fritura, ponto e crocância. Molhos caseiros e acompanhamentos, preparação de cones, embalagens e apresentações são dicas importantes no curso de frites do chef belga. 
 

 
Degustação de frites da Lutosa no lançamento do livro Sabores belgas no Brasil e Dia do Rei em Brasília.
 
Por que não aproveitar as dicas “Como preparar as deliciosas batatas fritas belgas” do livro e colocar as mãos na massa neste fim de ano? Compre já o livro “Sabores belgas no Brasil” que é também um ótimo presente de Natal, e experimente!


www.patrimoniobelga.com.br\sabores
Twitter: @saboresbelgasnobrasil
Instagram: patrimônio_belga_no_brasil

Venha conhecer o livro do artista belga radicado em São Paulo
 

Marc Storms, coordenador do Patrimônio belga no Brasil, lançou recentemente “Ad. H. van Emelen: A trajetória de um artista belga em São Paulo”. Nele, revela a biografia do artista (1868 – 1943) e divulga suas obras mais significativas, produzidas tanto em seu país de origem quanto no Brasil.
Acesse gratuitamente o primeiro capítulo “Origens e influências”!  Acompanhe o relato sobre a cidade de nascimento do artista, a Lovaina no século XIX, as atividades do seu pai, também escultor, a formação de Adrien, a sua participação na vida artística belga e a sua família. A leitura está disponível em http://www.belgianclub.com.br/pt-br/livro_van_emelen

Para conhecer mais sobre a sua trajetória e ver as suas obras, o livro encontra-se à venda na loja online https://patrimoniobelga.lojavirtualnuvem.com.br.

Lei de Incentivo à Cultura 
Patrocínios: Impextraco, Katoen Natie, Parafix, Peróxidos Brasil e Rhodia Solvay Group
Parceria: Museu Paulista
Apoio: Consulado Geral da Bélgica no Brasil
Mais informações: http://www.patrimoniobelga.com.br/livro
 

Apoie o mapeamento histórico e cultural da atuação das empresas belgas no Brasil

Empresas belgas deixaram e ainda deixam traços materiais de suas atividades e criatividade no Brasil. Referimos-nos, entre outros, à pontes, estradas de ferro, estações e material rodante ferroviário, ladrilhos e azulejos, vitrais e esculturas.

Um inventário dessa herança histórica está sendo criado e pode ser visto no site do Belgian Club Brasil em http://www.belgianclub.com.br. Novas descobertas estão constantemente sendo incluídas no site.
Esta iniciativa tem sido apoiada por trabalho voluntário como por exemplo traduções, edições de textos e fotografias, e patrocinadores. Estamos muito agradecidos à Barry Callebaut, nosso patrocinador atual. Gostaríamos muito de contarmos, em breve, com o nome e logotipo da sua empresa no site. Mais e detalhadas explicações sobre nossa política de patrocínio podem ser encontradas na página http://www.belgianclub.com.br/pt-br/patrocinador.
Leia Mais
Copyright © 2019 Patrimônio belga no Brasil, All rights reserved.


Deseja alterar a forma como você recebe esses e-mails?
Você pode atualizar sua inscrição ou cancelar a assinatura.


Email Marketing Powered by Mailchimp