Copy
Raphaël Hardy, a saga de um arquiteto e músico belga em terras mineiras

Hoje festejamos o dia de nascimento do nosso compatriota Raphaël François Amédée Marie Hardy, nascido em 1893 na cidade de Bruges, Bélgica.

A sua vida encontra-se documentada e ilustrada no recém publicado livro digital “Recordações: a história de uma família em movimento”, realizado pelo seu neto Marco Antônio de Freitas Coutinho.

Raphaël nasceu no berço de uma família de músicos clássicos. A sua avó paterna dava aulas de violino para seus filhos e seu pai, por volta de 18 anos de idade, recebeu o 1º prêmio de Violino da Escola de Música de Bruges. Até 1886, seu pai trabalhou como músico militar no Exército Belga.

Ele também se formou como desenhista e assistente de arquitetura em Bruges e em violoncelo no Conservatório de Música da mesma cidade. Há diferentes explicações sobre a sua chegada ao Brasil em 1912. Uma das hipóteses é que ele, durante o seu serviço militar obrigatório, teria se apaixonado pela filha de um oficial, que reprovou o relacionamento. Verdade ou não, o fato é que Raphaël desertou em 1912, comprou uma passagem na 3ª Classe do navio vapor “Amiral Villaret de Joyeuse” da Companhia "Chargeurs Réunis", que partiu de Le Havre no início do mês de setembro de 1912, com destino ao Rio de Janeiro.

Nessa cidade, ele teria encontrado e feito amizade com engenheiros que estavam se deslocando para Minas Gerais, onde estava sendo realizada uma obra na Estrada de Ferro Leopoldina nas proximidades da cidade de Viçosa. Em 1913, ele chegou então à cidade de Viçosa, contratado que fora para as obras da ferrovia. A oportunidade de aplicar seus conhecimentos arquitetônicos a uma obra ferroviária, seria uma grande experiência para seu currículo. Naquela oportunidade ele conheceu sua futura esposa, Marcília Silvino, com quem casou-se no início de 1914. Em 1915, nasceu seu primeiro filho, de nome Geraldo Hardy, que infelizmente veio a falecer ainda em tenra idade.

Em agosto de 1914 o exército alemão invadiu a Bélgica e o Rei Alberto I da Bélgica apelou a todos os cidadãos belgas, mesmo os que morassem no exterior, que atendessem ao chamado da mobilização nacional, pegassem em armas e defendessem sua pátria, prometendo anistia aos desertores. Hardy retornou para a Europa em 1915, lutou na Primeira Guerra Mundial, e lá permaneceu até o ano de 1918 e retornou para Viçosa.

Sabe-se que, em 1919, foi contratado pela Diretoria de Obras Públicas da Prefeitura de Belo Horizonte, e foi o autor da primeira revisão da Planta Geral da capital mineira, trabalho que concluiu em 1920.

Foto dos arquivos de família: Raphaël, Marcília, June (no colo) e Fezinho (Raphaël Hardy Filho), 1920.

Em Belo Horizonte, Raphaël também começou a exercer atividades de desenhista arquitetônico como profissional autônomo, tendo participado de projetos desenvolvidos pela Construtora Morthé de Araújo, para o escritório de arquitetura da Carneiro de Rezende & Companhia, assim como para o arquiteto Luís Signorelli. Participou então da elaboração de algumas plantas arquitetônicas dos projetos dos Edifícios do Automóvel Clube de Minas Gerais e da fachada do Edifício do Banco do Comércio e Indústria de Minas Gerais. Foi também projetista de móveis da principal empresa de processamento de madeira da capital mineira, a Serralheria Souza Pinto.

Na foto, sentado à esquerda, Raphael Hardy, no piano Anna Gertrudes Driesler, em pé com violino Julia Driesler Garcia de Paíva e George Marinuzzi - Foto publicada com autorização do Museu Histórico Abilio Barreto. Ano desconhecido.

O primeiro registro de uma participação de Raphaël na área musical da capital mineira foi por ocasião da criação da Sociedade de Concertos Sinfônicos de Belo Horizonte (SCSBH), ocorrida em 27 de junho de 1925. Em 1928, Raphaël foi nomeado para o cargo de Professor do Conservatório Mineiro de Música, hoje Escola de Música da UFMG, até se aposentar. No ano de 1935, fruto de seu crescente prestígio no âmbito da comunidade musical da capital mineira, foi nomeado Diretor Sociedade de Concertos Sinfônicos de Belo Horizonte, da qual havia sido um dos fundadores.

Raphael Hardy faleceu em 1968 na cidade de Belo Horizonte, onde foi homenageado com a Rua Professor Raphael Hardy, no bairro Padre Eustáquio.

Mais informações: http://www.belgianclub.com.br/pt-br/creator/hardy-raphael-1893-1968

O livro organizado por Marco Antônio conta, além da história da família Hardy, as da Silvino e de Freitas Coutinho.

DESLEECLAMA e IMPEXTRACO patrocinam futura exposição - Junta-se a elas! 

Agradecemos muito as empresas Desleeclama e Impextraco pelos seus patrocínios ao projeto da exposição “Passado e presente: memória e presença dos descendentes de imigrantes da colônia belga Ilhota – Santa Catarina”, aprovado pela Lei Rouanet em 2020. Esse projeto foi elaborado por Marc Storms, conjuntamente com a Associação Ilha Belga e contará as memórias e histórias da colônia belga fundada em 1844 na cidade de Ilhota.  

Ainda buscamos outros patrocinadores para completar o orçamento da exposição. Empresas podem patrocinar com isenção fiscal para o projeto que foi aprovado pela Lei Rouanet com número 201835. Entre em contato para obter mais informações sobre como fazer parte deste resgaste importante para as histórias da Bélgica e do Brasil! 

Apoie o mapeamento histórico e cultural da atuação das empresas belgas no Brasil

Empresas belgas deixaram e ainda deixam traços materiais de suas atividades e criatividade no Brasil. Referimos-nos, entre outros, à pontes, estradas de ferro, estações e material rodante ferroviário, ladrilhos e azulejos, vitrais e esculturas.

Um inventário dessa herança histórica está sendo criado e pode ser visto no site do Belgian Club Brasil em http://www.belgianclub.com.br. Novas descobertas estão constantemente sendo incluídas no site.
Esta iniciativa tem sido apoiada por trabalho voluntário como por exemplo traduções, edições de textos e fotografias, e patrocinadores. Estamos muito agradecidos à Barry Callebaut, nosso patrocinador atual. Gostaríamos muito de contarmos, em breve, com o nome e logotipo da sua empresa no site. Mais e detalhadas explicações sobre nossa política de patrocínio podem ser encontradas na página http://www.belgianclub.com.br/pt-br/patrocinador.
Leia Mais
Copyright © 2021 Patrimônio belga no Brasil, All rights reserved.


Deseja alterar a forma como você recebe esses e-mails?
Você pode atualizar sua inscrição ou cancelar a assinatura.


Email Marketing Powered by Mailchimp