Copy
Conheça a história de Adelaide das Dores, a escrava liberta que viveu 111 anos e foi a primeira torcedora-símbolo do Verdão 

Graças a publicação do meu livro sobre o artista belga Adrien van Emelen (Lovaina, 1864 – São Paulo, 1947) me tornei amigo de outros interessados neste artista. Mesmo depois de estudar e pesquisar durante mais de 4 anos a sua vida e obras ainda há muito a ser descoberto. Me escreveu recentemente o advogado Pedro Paulo Maillet Preuss:
 
“Hoje fiquei estupefato. Descobri uma matéria importantíssima sobre a Vovó do Pito. Sou Palmeirense roxo. Sou também formado no Largo de São Francisco [Faculdade de Direito – USP]. Sou colecionador do van Emelen e o quadro da Vovó do Pito fica sempre atrás de mim em meu trabalho.  E não e que ela era a Torcedora Símbolo do Palmeiras nos anos 20 e 30.  E não e que ela frequentava a São Francisco.”


Foi o coordenador do Acervo Histórico e Memória do Palmeiras que relevou a história da retratada. Vovó do Pito era o apelido de Adelaide Antônia das Dores que nasceu como escrava em Sorocaba em 1822. Ainda jovem, adquiriu a alforria e se mudou para São Paulo, onde casou-se aos 20 anos e teve dois filhos. Seu marido, enviado à Guerra do Paraguai (1864-1870), morreu em combate. Para garantir o próprio sustento, Adelaide trabalhou para famílias da elite. 

Uma imagem publicada no jornal “Diário do Abax’o Piques”, mostra uma senhora negra com chapéu de palha, cachimbo de cano longo na boca e distintivo do Palestra Itália bordado no vestido claro. O periódico refere-se a ela como “Vovó do Pito, a maior palestrina do país”.

Segundo o jornal “Correio Paulistano”, ela era “uma pessoa adorável, sendo estimada por toda a sociedade paulistana, principalmente entre a classe acadêmica, em particular os alunos de direito da Faculdade do Largo do São Francisco, onde sua figura estava sempre presente nas festas organizadas pelo grêmio estudantil”. Era uma personagem tão conhecida na emergente metrópole da década de 1920 que o pintor belga Adrien Henri Vital van Emelen (1868-1943), recém-chegado ao Brasil, retratou Adelaide em suas telas “Negra com chapéu e cachimbo” e “Negra rezando com terço”. 

As reproduções dos quadros do pintor podem ser admiradas no meu livro nas páginas 90, 114 e 115. O livro ainda está a venda por R$ 70,00 inclusive frete e pode ser encomendado por email



Marc Storms
 

DESLEECLAMA e IMPEXTRACO patrocinam futura exposição - Junta-se a elas! 

Agradecemos muito as empresas Desleeclama e Impextraco pelos seus patrocínios ao projeto da exposição “Passado e presente: memória e presença dos descendentes de imigrantes da colônia belga Ilhota – Santa Catarina”, aprovado pela Lei Rouanet em 2020. Esse projeto foi elaborado por Marc Storms, conjuntamente com a Associação Ilha Belga e contará as memórias e histórias da colônia belga fundada em 1844 na cidade de Ilhota.  

Ainda buscamos outros patrocinadores para completar o orçamento da exposição. Empresas podem patrocinar com isenção fiscal para o projeto que foi aprovado pela Lei Rouanet com número 201835. Entre em contato para obter mais informações sobre como fazer parte deste resgaste importante para as histórias da Bélgica e do Brasil! 

Apoie o mapeamento histórico e cultural da atuação das empresas belgas no Brasil

Empresas belgas deixaram e ainda deixam traços materiais de suas atividades e criatividade no Brasil. Referimos-nos, entre outros, à pontes, estradas de ferro, estações e material rodante ferroviário, ladrilhos e azulejos, vitrais e esculturas.

Um inventário dessa herança histórica está sendo criado e pode ser visto no site do Belgian Club Brasil em http://www.belgianclub.com.br. Novas descobertas estão constantemente sendo incluídas no site.
Esta iniciativa tem sido apoiada por trabalho voluntário como por exemplo traduções, edições de textos e fotografias, e patrocinadores. Estamos muito agradecidos à Barry Callebaut, nosso patrocinador atual. Gostaríamos muito de contarmos, em breve, com o nome e logotipo da sua empresa no site. Mais e detalhadas explicações sobre nossa política de patrocínio podem ser encontradas na página http://www.belgianclub.com.br/pt-br/patrocinador.
Leia Mais
Copyright © 2021 Patrimônio belga no Brasil, All rights reserved.


Deseja alterar a forma como você recebe esses e-mails?
Você pode atualizar sua inscrição ou cancelar a assinatura.


Email Marketing Powered by Mailchimp